Publicações: Manoel Dias da Fonsêca Neto

Blog do Manoel Fonsêca –  Link para o Blog 

 Youtube  do Manoel Fonsêca – https://www.youtube.com/c/ManoelFonseca/videos

 Manoel Dias da Fonsêca Neto

Nasceu em Quixadá – Ceará, estudou no Colégio dos Franciscanos em Canindé e no Seminário da Prainha em Fortaleza. Na Faculdade de Medicina integrou-se às lutas estudantis contra a Ditadura, militou na Ação Popular junto com sua esposa, Iracema Serra Azul, sendo ex-presos políticos e anistiados. Médico formado pela Universidade Federal do Ceará – Brasil – UFC, Especialização em Saúde Pública pela UFC/Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Especialização em Epidemiologia Universidade Estadual do Ceará – UECE/FIOCRUZ) e Mestre em Gerenciamento de Sistemas Locais de Saúde pelo Istituto Superiore di Sanitá – Roma/Itália.  Participou do movimento de redemocratização do País.

Foi Secretário de Saúde de Fortaleza e de Beberibe. Teve participação ativa no Movimento da Reforma Sanitária e implantação do Sistema Único de Saúde – SUS-CE, membro fundador da Escola de Saúde Pública do Ceará e da coordenação de implantação do Programa de Saúde da Família. Membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores-SOBRAMES – CE, da Associação Cearense de Saúde Pública – ACESP, da Academia Cearense de Médicos Escritores – ACEMES, titular da Academia Quixadaense de Letras – AQL, membro do Movimiento Poetas del Mundo e da Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia – ABMMD. Autor, entre outros escritos, dos livros: Desafios para a Saúde Pública do Ceará, Iracema nosso amor, Tempo de Nascer: O Cuidado Humano no Parto e Nascimento, Benditas & Guerreiras, Lendas e Encantos, Baú dos Avós, Fortaleza: Cidade Saudável e Fraterna, Madalena e o Sagrado Feminino, Meu Povo Ancestral, Escravidão e Lutas de Libertação.

Poema “Quem sou?”:  https://youtu.be/KNn2kkjVNLc

Escravidão e lutas de libertação – Tributo ao povo negro brasileiro, 2021 é um itinerário histórico, abordando quatro etapas: – a primeira, intitulada “Escravidão e Violência” fala da diáspora forçada de africanos para o Brasil, no processo de escravização de homens e mulheres negras e a forma de relações de dominação, baseadas na violência, na tortura atroz e no estupro; – a segunda, “Rebeldia e Quilombos” reflete a revolta e resistência dos negros e negras escravizadas, a fuga e a formação de Quilombos, territórios de libertação e luta; – a terceira, Igualdade Democrática, refere-se ao engajamento de intelectuais e poetas no movimento abolicionista e a resistência de escravocratas na justificação da escravidão, com teorias falaciosas sobre “racismo científico” e falsa “democracia racial”; – a quarta, “Cultura e Resistência”, aborda a afirmação da negritude, através de expressões culturais e atitudes de resistência. A persistência do racismo estrutural e o genocídio praticado pelo Estado contra jovens negros. Neste livro os poemas expressam luta e resistência, num tributo solidário ao povo negro brasileiro.

Links de alguns poemas declamados pelo autor:

Poema Mãe Africa – https://youtu.be/fsMb8-qI3J8

Poema Dragão do Mar – https://youtu.be/2uTglTDWyig

Será que Alma tem cor? – https://youtu.be/qco1h2vy6z0

Outros poemas do livro Escravidão e Lutas de Libertação –

https://www.youtube.com/c/ManoelFonseca/search?query=escravid%C3%A3o%20e%20lutas

Entrevista sobre o XXVIII Congresso Brasileiro de Médicos Escritores, no Programa Matina com Tatianna Freitas na TV União –

https://www.instagram.com/tv/CTV2LlIHS3q/?utm_source=ig_web_copy_link

 *****************

Meu povo ancestral, 2019

Livro de poesia sobre nosso povo indígena. Fala de sua teogonia mais primitiva, centrada na deusa-mãe natureza Cy e seus auxiliares, protetores da floresta. Aborda os rituais sagrados, a comunhão com a floresta, a invasão e violência física e psicológica de estrangeiros, com suas armas ou sotainas. Destaca a luta pela sobrevivência, por suas tradições, seus costumes, seu cotidiano. Baseado no estudo de etnólogos e pesquisadores, como Couto de Magalhães, Nimuendaju, Darcy Ribeiro, Claude Levy-Strauss, Rita Ramos e outros, faz um mergulho no viver indígena e se propõe a prestar um tributo e uma reverência a este guerreiro povo que resiste ao persistente massacre. “Meu povo ancestral” é um libelo em defesa dos povos indígenas e uma louvação à resistência, à esperança, na busca da utopia de uma Terra sem Males.

Links de poemas declamados pelo autor:

Meu Povo Ancestralhttps://youtu.be/zKYwsHtCPEA

 

 Madalena e o Sagrado Feminino, 2016

 “Se Maria Madalena não teve seu lugar assegurado nos versículos dos sagrados livros cristãos, esta obra poética garante os versos necessários para apresentar esta mulher, fundamental para compreendermos o sagrado feminino, usurpado de nós por tantos dogmas e austeras vozes masculinas. A literatura tem esta beleza, a de nos revelar os possíveis e impossíveis da história, a de subverter realidades e alargar nossos horizontes. O que Manoel Fonsêca faz é mais do que estrofes e rimas, sua escrita nos oferece um novo imaginário, o qual aceitamos de bom grado através de uma leitura fluida, fácil, embora possa soar incômoda aos que insistem em não ler as boas novas. Esta obra afirma o Feminino dentro de uma tradição religiosa que se iniciou com a crucificação de um homem e se perpetuou com a condenação à morte de inúmeras mulheres. Talvez olhando para Maria Madalena encontremos também a redenção para Jesus, geralmente representado numa imagem melancólica, cabisbaixa, com os braços tristemente abertos. O amor de Madalena é para permitir o abraço incompleto, levantar nossa cabeça e ressuscitarmos. É a nossa redenção, homens e mulheres de todo o mundo. Este livro é um convite para o amor divino realizável na terra”. Thiago Fonseca

 *****************

 Fortaleza – Cidade Saudável e Fraterna, 2015 (Autores Manoel Dias da Fonseca Neto, Cícera Borges Machado e Lindélia Sobreira Coriolano).

Resgata, na análise da situação de saúde, os dados epidemiológicos de doenças e agravos ocorridos em Fortaleza durante 10 anos. O livro será especialmente útil a estudantes e técnicos da área da saúde, por dar uma visão abrangente e precisa da situação de saúde e de sua evolução até o presente.Considerando a multiplicidade de fatores que envolvem a promoção e a proteção à saúde dos indivíduos, a presente análise de situação objetiva ainda instrumentar gestores para a condução de políticas públicas de vários setores da sociedade, assim como subsidiar o planejamento de ações. Augediva Maria Jucá Pordeus

 

Benditas e Guerreiras, 2014

Composto de 46 sonetos, abrangendo em quatro idades históricas: a Antiga, a Média, a Moderna e a Contemporânea. “Benditas & Guerreiras” destaca também o tempo em que deusas femininas primordiais protegiam a vida: Pótnia a deusa-mãe da Turquia, por exemplo; Pacha Mama, do Chile, que se confunde também com a mãe universal; Cy, a deusa mãe brasileira; Iemanjá e Iansã, da África, Brígida, a deusa celta, Amaterasu, a deusa-mãe do Japão e Aditi, da Índia. “Benditas & Guerreiras”, faz uma homenagem especial às mulheres na história da humanidade. “Este livro, diz ele, logo no início, nasceu de uma indignação intelectual”. E explica que sua esposa, Iracema Serra Azul, ao reler sobre a mitologia antiga, ficou intrigada ao perceber que os principais deuses eram masculinos. Ao pesquisar descobriu que, nos primórdios da humanidade, entidades femininas eram reverenciadas como deusas protetoras em todas as regiões do mundo. Daí surgiu a ideia de dar evidência a estas deusas e às mulheres que fizeram história afirmando sua condição feminina e sua luta por liberdade, igualdade e justiça. Desta parceria intelectual surgiu Benditas e Guerreiras

 

Links sobre o livro:

 

Entrevista com Leda Nagle no Programa Sem Censura da https://youtu.be/xRgvsU9OQ_A

Poesia Maria, a Judia 279 a. C.  – https://youtu.be/OmweURxHAy0

Florence Nightingale – https://blogdasobramesceara.blogspot.com/2020/05/por-manoel-fonseca-florence-nightingale.html

*****************

 O Baú dos Avós de, 2014

Contos infantis para os avós contarem para os netinhos! Visam resgatar esses momentos perdidos nos tempos atuais!! Estas historinhas foram contadas, em prosa, em muitas noites de afetos, para os netos, numa rede a balançar. Algumas inventadas, como Arthur atrapalhado e o Jaburu Perdido, uma adaptada, O Leão e o Ratinho, e outras de domínio popular. As histórias sobre o macaco e a onça sofreram leves modificações no seu desfecho, por sugestões dos netos, que não queriam que a Cumade Onça sofresse com as presepadas do macaco Chico Tripa. O livro é um estímulo à imaginação e à criatividade, uma forma de despertar alegria nas crianças.

 

Links de alguns poemas declamados pelo autor:

O Leão e o ratinho:  https://youtu.be/8yyvncTBKY4

Artur Atrapalhado: https://youtu.be/256DJ-zO3t0

 

*****************

 

Lendas e Encantos, 2014

São uma celebração da natureza e expressão do imaginário popular, através de lendas, como a do boto namorador, a princesa moira de Jericoacoara, o sol e a estrela-flor e uma lenda inventada pelo autor sobre a Pedra-Mãe, a Galinha Choca de Quixadá. Há também descrições, em verso, de pássaros observados em Guaramiranga-Ce e relatos de acontecimentos com pequenos animais.

 

Link poema declamado pelo autor:

A Princesa Encantada de Jericoacoara  – https://youtu.be/VlDot3PvqRs

*****************

Tempo de Nascer, 2007

“Tempo de Nascer” é um livro que nos remete a uma reflexão muito atual sobre o modo de vir ao mundo e seus ritos. O autor demonstra uma exuberante prática desse novo paradigma de cuidado com a vida. Não basta ao ser humano sobreviver. A questão supera o aspecto simplesmente quantitativo e busca a qualidade. Qualidade de vida. É tempo de nascer de forma humana. E o que é o humano senão uma complexa e inextricável conexão de corpo, mente e espírito? O cuidado com o parto e o nascimento é constituído de elementos entrelaçados. O natural e o científico. A razão e o coração. Nele o profissional de saúde que assiste o parto, trazendo para a situação as garantias da melhor técnica científica, tem a dimensão de que é um ser humano que facilita a vinda ao mundo de outro ser humano. “Tempo de Nascer” traz lições preciosas que não podem ser perdidas pelos profissionais de saúde, que atuam nesse momento tão singular da existência humana.

 

Links de alguns poemas declamados pelo autor:

Sobre o livro – https://manoelfonsecaneto.blogspot.com/2007/12/tempo-de-nascer-2007-tempo-de-nascer-e.html

Poema Tempo de Nascer – https://youtu.be/RqaRW7m1gMQ

*****************

Iracema Nosso Amor, 2003

Iracema é um ser de luz, uma mestra da gentileza.

Desde bem jovem engajou-se na luta por liberdade e democracia durante a Ditadura Militar. Com seu esposo teve que viver na clandestinidade, por perseguição política, sendo presos e torturados. Seus dois filhos, Andréia (2 anos) e Ernesto (3 anos) foram sequestrados neste período de sua prisão. Iracema venceu esta tormenta.

Este livro traz as cartas de seu esposo feitas da prisão, após condenação por um Tribunal Militar. Traz também declarações de amorosidade dos filhos Ernesto, Andreia e Maíra, de familiares, amigas e amigos, quando completou cinquenta anos de idade. “Iracema nosso amor” expressa o seu reconhecimento como mestra do afeto, de sabedoria, amizade e generosidade.

 

Links de alguns poemas declamados pelo autor:

Canção da Esperança – https://manoelfonsecaneto.blogspot.com/2017/06/cancao-da-esperanca.html

Pastora de Estrelas – https://manoelfonsecaneto.blogspot.com/2020/12/iracema-nosso-amor-pastora-de-estrelas.html

Amorosamente – https://manoelfonsecaneto.blogspot.com/2021/01/amorosa-mente.html

Liricamente – https://youtu.be/C-JYeWAseXc

*****************

PREMIAÇÃO LITERÁRIA

 Prêmio Talentos Helveticos-Brasileiros –  IV – 2019

Categoria Poesia.

Genebra- Suíça.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*****************

 

CARAVANA CULTURAL

 

Oh! Bendito o que semeia

Livros à mão cheia

E manda o povo pensar!

Castro Alves

 

A Caravana Cultural da Helvetia Editions, realizada em Fortaleza entre 12 e 15 de março de 2020, foi um belo momento de congraçamento entre poetas e escritores de vários Estados brasileiros, como Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro. Queremos agradecer a participação especial do Deputato Renato Roseno, do lider indígena Casimiro Tapeba, Coordenador Executivo da APOINME, do escritor cearense Mailson Viana. Agradecemos também o Instituto do Ceará, que gentilmente nos acolheu e nos proporcionou uma prazerosa visita guiada, com a participação de um dos seus Diretores, o escritor e historiador Juarez Carvalho e de Nonato. A Universidade UniChristus nos acolheu e cedeu seu auditório, por intermediação do Dr. Arruda Bastos, presidente da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores – SOBRAMES –  CE. A jovem Jannini Rosa, diretora da Helvetia Editions, conduziu com maestria este prazeroso encontro.

 

*****************

 

 

 

 

 

 

PARTICIPAÇÕES NOS FESTIVAIS DE POESIA DE LISBOA E EM ANTOLOGIAS

 

 

FPL – https://www.instagram.com/festivaldepoesiadelisboa/

2º Festival de Poesia de Lisboa – 2017

A Vida em Poesia II

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*****************

 

3º. Festival de Poesia de Lisboa – 2018

A Vida em Poesia III

 

Vídeo da participação no Festival de Poesia de Lisboa, 2018 https://youtu.be/SI75yv8Vw90

 

 

 

 

 

 

 

*****************

 

4°Festival de Poesia de Lisboa – 2019

A Vida em Poesia IV

 

 

 

 

 

 

 

 

*****************

 

 

 

 

 

 

 

 

5º Festival de Poesia de Lisboa – 2020

R-EXISTIR

A poesia como afirmação de nossa existência

 

 

 

 

 

 

 

 

*****************

 

6º Festival de Poesia de Lisboa, 2021 Terra – uma poética de nós. Poemas Mãe Natureza  e Sentidos de Manoel Fonseca Da Antologia do Festival participaram 126 poetas que falam a língua portuguesa e que vivem em 14 países diferentes, espalhados nas Américas, Europa, Ásia e África..

https://www.instagram.com/p/CNTBysUjXOI/

 

*****************

 

 

REBENTO, Vivências de uma pandemia, 2021

 

Participação no livro com uma crônica falando sobre solidariedade humana, no amor à ciência, na proteção aos vulneráveis e aos profissionais da saúde durante a pandemia. O Coletivo Rebento, grupo de médicas e médicos cearenses em defesa da vida, da ciência e do SUS, publicou o livro onde há relatos do enfrentamento à covid-19, escritos por 35 médicas e médicos e 10 profissionais de outras áreas.

 

 

 

Reportagem: https://www.radiouniversitariafm.com.br/noticias/coletivo-de-medicos-lanca-rebento-vivencias-de-uma-pandemia/

 

Vídeo sobre a participação no livro: https://fb.watch/9MZ2HTFoo9/

 

*****************

 

 

Histórias de Quarentena, 2020

Participação com a crônica: As lições da pandemia de COVID- 19, pagina 178. Em muitos períodos da história, o livro serviu para compreendermos gerações passadas e, consequentemente, modos de vida contemporâneos. Tudo pode passar, mas a palavra escrita resiste ao tempo e tem poder de conscientização. Por essa razão, autoras e autores de diversos estados do Brasil, Portugal, Suíça, Estados Unidos e Grécia, nos contam suas percepções sobre a quarentena nesta obra inédita. Aqui estão reunidos mais de 50 contos, crônicas e ensaios sobre a pandemia do Coronavírus, com o objetivo de documentar o ano de 2020 e as mudanças sociais e econômicas que advieram com ele. Links da crônica:

https://www.facebook.com/1566994943530670/posts/2663302847233202/?d=n

 

*****************

 

Tributo ao Sertão – 2018 Cebrac Brasil – Zurique-Suiça

Participação com o poema Aboio no Sertão do Quixadá (Aboio autoral criado em homenagem aos sertanejos nordestinos e aos profetas da chuva.)

A foto intitulada “Uruku-ku: autora das māos-terra” traz mãos marcadas por uma geografia mesclada pelo trabalho com a terra e a esperança no florescer de frutos, no porvir e por uma eterna lealdade à terra natal, suas tradições, seu ethos. Lu Lisboa, fotógrafa convidada para ilustrar esta antologia, nasceu no Sertão do Brasil, vive na Alemanha, e em 2017, retornou ao local de nascimento para compor a Série Artérias Emaranhadas. Nela, podemos ver um lugar entre paisagens encarnadas pelo urucum, as mãos do homem sertanejo, o retirante, as cores do céu, o cheiro do vento e uma ausência sempre presente: a chuva; temas recorrentes no conteúdo deste livro. Contos, crônicas e poemas formam aqui um mosaico composto pela cultura nordestina, que pode ser considerada a mais identitária do Brasil. Textos emocionantes, por vezes, histórias reais, apresentam ao leitor a importância que o Sertão teve e tem na história nacional. Quem são os autores? Brasileiros, bem como residentes no exterior; profissionais advindos das mais diversas áreas do conhecimento tais como antropologia, comunicação social, psicologia, saúde, além das mães, das avós e jovens; autores unidos para formar uma obra-prima baseada na temática do sertanejo. Inspiremo-nos…

 

Participação com o poema Aboio no Sertão do Quixadá (Aboio autoral criado em homenagem aos sertanejos nordestinos e aos profetas da chuva.)

Blog – https://manoelfonsecaneto.blogspot.com/2021/03/aboio-no-sertao-de-quixada-manoel.html

DVD Cantos e Contos de Manoel Fonseca https://youtu.be/83G3HZ-8HNE

 

 

 

 

*****************

 

 

AQL/SOBRAMES/ACEMES

 

Participação em várias Antologias da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores – SOBRAMES, da Academia Quixadaense de Letras – AQL, da Academia Cearense de Médicos Escritores – ACEMES e de outras Entidades Literárias

 

 

 

 

 

 

 

*****************

       Membro Poetas Del Mundo

 

“Salve poetas do mundo,

Seus passos são uma dança,

Que semeiam a esperança

Em solo de amor profundo.”

 

Manoel Fonseca

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Havana – Cuba, fevereiro de 2017

(Foto com o Fundador do Movimiento Poetas del Mundo, o poeta chileno Luis Arias Manzo)

 

 

 

 

 

 

 

 

Encontro dos Poetas del Mundo na Argentina em setembro de 2017

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sobre a participação no Movimiento Poetas del Mundo

 

Vídeo com poesia:

https://youtu.be/dOxB__E2EFY

 

Perfil do autor no site do Movimiento Poetas del Mundo:

https://www.poetasdelmundo.com/continent/america/POETS-1611377548-9222

 

*****************

Imortal da Academia Quixadaense de Letras, 2012 –  Cadeira n° 15 – Manoel Dias da Fonseca Neto – Patronesse – Maria Rocilda Ferreira Fonseca. A cidade de Quixadá – CE completou 142 anos no dia 27 de outubro de 2012 Na ocasião em foi fundada a Academia Quixadaense de Letras (AQL). Foram vinte os acadêmicos fundadores que receberam os títulos de membros da AQL.

 

http://blogs.diariodonordeste.com.br/sertaocentral/saude/academia-quixadaense-de-letras-promove-conferencia-com-medico-manoel-fonseca/51388

 

 

 

 

 

 

 

 

*********************

 

 

 

Participação na FLIP – Festa Literária Internacional de Paraty, 2019 – com lançamento do livro: Benditas e Guerreiras

 

 

 

 

 

*********************

Links de poemas declamados pelo autor:

 

Mãe Natureza; https://youtu.be/8wTDFltta90

Poemas Sentidos – https://youtu.be/nPXCOnYkACY

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Revista Sustentação agosto, setembro, outubro e novembro de 2007. Ano 9.n.20, pagina 21. https://www.cosemsce.org.br/revista/sustentacao-20.pdf

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.